O seu Dicionário Jurídico Online

Avalista e Fiador

O Avalista e fiador possuem o papel de garantia para a parte credora, sendo os responsáveis por assumir o prejuízo caso o contratante deixe de pagar ou desrespeite o contrato. Em alguns casos, a instituição pode solicitar mais de um avalista ou fiador. Veremos abaixo se é a mesma coisa e qual o seu significado.

Já tratamos aqui no dicionário direito sobre Contrato Social, Matéria Prima, e Gestão. Veremos agora a diferença entre avalista e fiador.

Diferença entre Avalista e Fiador

Para fazer um financiamento, empréstimo ou mesmo alugar um imóvel, as instituições responsáveis exigem a participação de avalista ou fiador durante o processo.

Se há a dúvida se avalista e fiador é a mesma coisa a resposta é não, pois há algumas diferenças, conforme segue:

Avalista

O avalista nada mais é do que a pessoa que aceita se responsabilizar pela dívida feita por outra, assumindo o prejuízo caso a parte interessada não pague o que deve.

Para ser avalista, o indivíduo não pode ter restrições de crédito, já que a dívida automaticamente passa a ser sua responsabilidade. Contudo, ele é encarregado de efetuar apenas o pagamento do valor negociado, e não dos juros e multas decorrentes de atraso.

Veja Também: O que é Capitalismo?

Fiador

O fiador, assim como o avalista, também precisa estar com crédito em dia e disposto a se responsabilizar pela dívida de um terceiro. Mas as exigências são maiores, já que ele precisa provar que possui renda suficiente para cobrir a divida caso não seja paga pelo credor.

O fiador não é responsável apenas pelo valor negociado, mas também pelos juros e multas de atraso.

Caso seja gerada uma dívida com fiador, o devedor será acionado primeiramente, e só em último caso o fiador será solicitado para pagar o valor devido. Já no caso de dívida com avalista, o credor poderá acionar tanto o avalista quando o devedor.

Outra diferença é que o fiador pode utilizar seus patrimônios familiares como garantia, já o avalista não.

Ser avalista ou fiador é uma decisão bastante difícil de ser tomada, afinal não se trata de uma posição nada vantajosa, pelo contrário, quem se submete participar desse processo pode acabar colocando seus bens em risco.

Por isso, é importante realizar uma avaliação prévia de todo o processo, esclarecer todas as dúvidas antes de fechar o contrato e escolher uma pessoa de confiança.

Faça uma Pergunta ou Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.