O seu Dicionário Jurídico Online

Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta utilizada no meio contábil responsável para controlar a os registros financeiros de uma empresa. Ele serve para verificar todas as entradas e saídas do caixa de uma organização, ou seja, tudo que a empresa recebe e paga em um determinado período de tempo.

Já vimos aqui no dicionário direito sobre temas como CNPJpro-laborecredor e devedor, e faturamento. Agora trataremos sobre significado de Fluxo de Caixa, para que serve, e como funciona.

Como Funciona o Fluxo de Caixa?

Para que o processo do fluxo de caixa seja realizado de maneira eficaz é necessário que seus registros sejam lançados de forma detalhada, especialmente com o lançamento dos valores corretos. Para isso, é recomendado que haja um acompanhamento contínuo, uma vez que quanto menor o período, maiores as possibilidades de evitar os erros.

Existem diversos tipos de fluxo de caixa disponíveis para que as organizações possam utilizar na elaboração de suas projeções, por exemplo: fluxo de caixa operacional, fluxo de caixa projetado, fluxo de caixa direto e indireto, fluxo de caixa para investimento e fluxo de caixa livre.

Demonstrativo de Fluxo de Caixa

O demonstrativo de fluxo de caixa (DFC) pode ser realizado através de dois diferentes tipos de métodos: direto e indireto. Sua estrutura normalmente é composta por três grandes áreas: atividades operacionais, atividades de investimento e atividades de financiamento.

Método Direto

Método direto é o mais utilizado, sendo ele composto pela seguinte estrutura:

  • Atividades Operacionais: recebimento de clientes, pagamentos de fornecedores, despesas administrativas e pagamento do governo.
  • Atividades de Investimento: compra de ativo permanente e recebimento de dividendo.
  • Atividades Financeiras: financiamentos, integralização de capital, empréstimos, divisão de lucros.

Método Indireto

O método indireto não costumar ser utilizado com frequência dentro das empresas, e refere-se às relações de lucros ou prejuízos resultados no DRE (Demonstração de Resultado do Exercício).

  • Atividades Operacionais: depreciação e amortização, aumento/diminuição de fornecedores, contas a receber, estoque.
  • Atividades de Investimento: vendas de imobilizado, aquisição de imobilizado, aquisição de outras empresas.
  • Atividades de Financiamento: empréstimos líquidos tomados, pagamentos de leasing e emissão de ações.

Faça uma Pergunta ou Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.