O seu Dicionário Jurídico Online

SPC e SERASA

No Brasil, existem dois órgãos que auxiliam empresas a autorizarem a liberação de crédito a um terceiro, sendo elas o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e a Serasa Experian. Apesar de prestarem serviços semelhantes de consulta de dados, possuem caraterísticas específicas sobre as quais falaremos a seguir.

Aqui no dicionário direito vimos também sobre Dígito Verificador da Conta Corrente, Pagamento em EspécieIPCAtaxa selic. Hoje veremos a diferença entre SPC e SERASA.

A finalidade desse crédito pode ser pegar empréstimo no banco, financiar uma casa, um carro, fazer cartão de crédito, abrir crediário em uma loja, entre outras possibilidades. Por isso, lojas, bancos e empresas quase sempre consultam esses órgãos para conhecer a “reputação” do possível cliente, e verificar se devem ou não conceder crédito a ele.

Como Funcionam o SPC e o SERASA?

Tanto o SPC quanto o Serasa possuem informações pessoais de indivíduos com dívidas em atraso.

Quando consultada, a lista de inadimplentes é disponibilizada a lojistas, bancários e demais instituições interessadas nesse tipo de informação.

Ambos os órgãos possuem autonomia para fornecer dados pessoais (nome, CPF, endereço) e a relação das dívidas que estão em atraso.

Qual a Diferença entre SPC e SERASA?

Mas afinal de contas, qual a diferença entre SPC e SERASA? A principal diferença entre ambos está no local onde os dados são coletados. O SPC é financiado pela Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL), e suas informações vêm dos lojistas credenciados.

Já o Serasa pertence a uma empresa irlandesa, e coleta dívidas relacionadas a cartão de crédito, empréstimos, cheques especiais, dentre outros ligados a instituições financeiras.

Consulta SPC e Serasa Gratuita

A consulta da situação do CPF de um indivíduo no SPC é paga, e pode ser feita pela internet ou em uma agência. Por outro lado, a consulta ao Serasa é gratuita, e também pode ser feita dos dois modos.

Não existe um prazo especifico para ter seu nome negativado, mas é comum que as empresas aguardem no mínimo 60 dias.

Em geral, o consumidor recebe o aviso de que seu nome será negativado, e tem um prazo para quitar o débito. Quando continua inadimplente, além da dificuldade em conseguir crédito, ele pode enfrentar juros mais altos, dificuldade para conseguir emprego, entre outras consequências.

Faça uma Pergunta ou Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.